Qual é a melhor maneira de se treinar para uma maratona?

O desejo de todo maratonista é melhorar sua performance, para alcançar bons resultados em competições. A maneira ideal de conquistar esse objetivo é treinando constantemente e conhecer melhor seu corpo.

Assim como acontece com qualquer outra atividade física, entender como seu corpo funciona e o que ele aguenta é essencial para ter melhor performance no dia da maratona.

Há, ainda, outras dicas para treinar para uma maratona e atingir resultados cada vez melhores e significativos. Conheça, a seguir, quais são elas e as coloque em prática!

 

shutterstock_138987200

 

Conheça e melhore seu VO2max

O VO2max, ou ainda volume de oxigênio máximo, é a capacidade total de oxigênio que uma pessoa consegue transportar e metabolizar durante a prática de um exercício físico, influenciando na sua capacidade aeróbica.

Uma das curiosidades do VO2max é que ele está diretamente relacionado à resistência e representa 70% da variação de desempenho de corredores e maratonistas.

Quando se tem um bom VO2max, a performance em provas é otimizada, sendo possível alcançar um resultado superior. Por isso, o melhor é sempre conhecer essa taxa e treinar para aumentá-la.

Neste caso, o treino deve ser desenvolvido para melhorar a quantidade de oxigênio capturada e transportada durante o exercício, bem como a extraída e utilizada pelo organismo.

De modo geral, qualquer tipo de exercício físico melhora a capacidade vascular e o VO2max, mas somente se for praticado regularmente e, preferencialmente, com intensidade e ritmo máximo que pode ser suportado.

Uma boa pedida é começar com treinos intensos de poucos minutos, intercalando com um descanso ou atividades físicas lentas, de no máximo dois minutos, para dar tempo de o corpo se recuperar.

 

shutterstock_385235995

 

Saiba e mude seu LT e LTP

LT e LTP são duas siglas importantes para se conhecer quando se corre maratonas. O LT é o Lactate Threshold e indica o ponto inicial em que o lactato começa a aumentar no sangue, o acontece ao intensificar a velocidade na corrida.

Já o LTP é o Lactate Turn Point, que corresponde à velocidade em que há um aumento súbito do lactato no sangue. Quando isso ocorre, as pernas ficam pesadas e o desempenho prejudicado.

O ideal é mudar o LT e LTP para alcançar boa performance. Para isso, o treino deve ser desenvolvido fazendo corridas curtas em um ritmo elevado, sempre mudando de velocidade durante o exercício.

Outra forma é adotando séries com caminhada/trote lento e corrida ao ritmo máximo. Desta forma, há uma melhor adaptação do corpo e também o tempo necessário para recuperação.

 

Faça treinos de força

Os treinos de força / musculação geralmente são ignorados pela maioria dos maratonistas. É aí que está o engano: esse tipo de atividade física ajuda a suportar o estresse físico com maior facilidade, proporcionando um desempenho superior.

Ademais, os treinos de força fortalecem a musculatura. Na prática, isso significa que o risco de lesões é consideravelmente minimizado, tornando a corrida mais segura.

Ao adotar esse tipo de treinamento ou realizar modificações em sua prática diária de exercícios, conte sempre com a ajuda de um profissional especializado, para ter mais resultados assertivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *