O quê podemos falar sobre seu DNA através de um pequeno cotonete?

Desde o Projeto Genoma Humano, o conhecimento sobre o DNA e genes se tornou uma importante ferramenta para compreender melhor todos os processos da vida humana e também entender como cada organismo funciona.

Para se ter esse conhecimento, o mapeamento genético, processo em que o material genético é colhido, entre outras formas, com um pequeno cotonete, é fundamental.

Com esse teste é possível identificar características específicas de cada organismo, somente observando células tiradas da bochecha e lendo o código para identificar genes que afetam pontos importantes, como a saúde, nutrição e performance em treinos.

De posse dessas informações é possível agir pontualmente para melhorar a saúde e qualidade vida, inclusive o desempenho em treinos e práticas esportivas, obtendo melhores resultados.

 

shutterstock_552130150.0

 

Mas, como funciona o teste genético?

O teste genético tem funcionamento simples: basta esfregar um cotonete no interior da boca para extrair o DNA. Este material é analisado em laboratório, para identificar variantes genéticas.

Curiosamente, apenas 0,05% dos genes são variantes, enquanto 99,5% são idênticos aos de outras pessoas. Uma das iniciativas do Projeto Genoma Humano foi estabelecer sequências genéticas inalteráveis e as variações mais comuns, o que facilitou a análise e identificação dos genes que modificam diretamente sua performance.

Finalizado o teste, um relatório é emitido com informações específicas sobre seu perfil genético, sempre com base científica, podendo realizar adaptações em seus treinos e nutrição para atingir resultados mais expressivos, com a ajuda de profissionais especializados, como um nutricionista ou o educador físico.

 

DNA-sample-swabbing

 

Quais variantes genéticas são analisadas no teste?

Nos testes feitos pela Progenes, que são o Progenesfit, ProgenesMacro e ProgenesMacrofit, são duas as variantes genéticas analisadas do material colhido com o cotonete:

– ACTN3: também conhecido como o gene da velocidade, que indica se a pessoa tem facilidade de desenvolvimento de fibras de contração rápida, lenta contração ou se tem um equilíbrio entre ambas as opções.

Esse dado é importante, uma vez que indica se um treino intenso, como o HIIT, é mais adequado para ganhar massa magra / perder peso ou se um treino menos intenso é o recomendado;

– FABP2: gene específico de ligação a ácidos graxos. Ele atua na produção de uma proteína responsável por absorver gordura e carboidratos simples pelos intestinos.

Ao identificar sua variante para esse gene será possível saber se você é mais suscetível a carboidratos simples ou gorduras saturadas, podendo desenvolver e adotar planos alimentares personalizados e que realmente promovam o emagrecimento de uma vez por todas.

Quais outras informações são obtidas com o teste genético?

O teste genético também permite conhecer características como capacidade de resistência a treinos intensos, tipo de fibra muscular, riscos de overtraining e lesões, bem como propensão a ser velocista ou maratonista.

Todas essas informações são importantes para poder alinhar tanto a dieta como treinos de acordo com seus genes. E, o melhor, não é preciso muito esforço para ter esses conhecimentos e atingir resultados de performance matadores: só é necessário fazer o teste usando um pequeno cotonete!

Conheça mais sobre os testes da Progenes clicando aqui. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *